Logo Sempre Bem
Ícone de busca
Ícone do ecommerce
Ícone de busca
Saúde

Saúde

Para ter saúde, é necessário estar bem física, mental e socialmente

Saúde

Para ter saúde, é necessário estar bem física, mental e socialmente

Longevidade E Seus Desafios
Saúde

Longevidade E Seus Desafios

É fato que estamos vivendo mais e melhor. Mas quais os melhores hábitos para mantermos essa longevidade de forma saudável? Nós conversamos com alguns profissionais pra te explicar tudo. Veja no vídeo e compartilhe!

A longevidade já é uma realidade. Estamos vivendo mais e melhor. Mas para isso, é preciso ter alguns hábitos saudáveis.

O Sempre Bem foi às ruas ouvir a população. Para Ana Lúcia Fontenele, alimentação e atividade física são o segredo. Francisco Magalhãs concorda: "É preciso cultivar hábitos saudáveis... Eu incluiria a leitura". Claudia Maciel explica que no cardápio não faltam frutas e verduras. Já Ivonete Chagas acrescenta: "A minha qualidade de vida começa no temor a Deus. Com sabedoria, é possível cuidar da vida e viver de uma forma saudável".

Segundo a nutróloga Tayná Athayde, é muito importante cuidar da imunidade, principalmente nos idosos. A alimentação tem um papel fundamental nesse sentido, sem falar na qualidade do sono e na prática de atividade física. A geriatra Andréa Gondim complementa: "Quando falamos em saúde do idoso, a qualidade de vida também está associada às relações sociais e espiritualidade".

Tayná explica que conforme envelhecemos, é muito comum diminuir, inconscientemente, a ingestão de proteína. "Quero reforçar a importância dessas proteínas na alimentação dos idosos, pois com o tempo perdemos massa muscular. A proteína é o "tijolo" para ajudar a fazer essa musculatura." Já a geriatra afirma que uma dieta balanceada deve ser seguida por toda a vida: "Frutas, vegetais e oleaginosas compõem uma alimentação equilibrada que ajuda a manter massa muscular nos idosos e, de quebra, mantêm a saúde do coração e do organismo como um todo."

Uma alimentação equilibrada é capaz de suprir todas as as vitaminas e minerais que o nosso corpo necessita, mas nem sempre é possível. "Havendo necessidade, pode-se entrar com a suplementação, lembrando da importância da vitamina D, do zinco que está relacionado com a imunidade e do magnésio que tem relação direta com a osteoporose, tão comum nos idosos. Em tempos de pandemia, é importante que esses níveis estejam adequados." Já em relação ao cálcio, a profissional adverte que não deve ser suplementado isoladamente, pois sua absorção depende de outros nutrientes.

"É importante lembrar que toda essa suplementação precisa ser orientada por um profissional especializado, que deverá reconhecer e identificar as necessidades individuais de cada idoso para prescrever e orientar a suplementação", diz a geriatra.

A funcionária pública Elcilane Murta, de 63 anos, se considera saudável: "Eu caminho, danço forró 3 vezes por semana, cuido das plantas e me dedico a vida profissional". A secretária executiva Maria Cristina Costa, de 56 anos, conta como está se preparando para a terceira idade: "Participo de projetos sociais voltados para esse público." Para elas, a convivência com pessoas de outras gerações também faz diferença: "A gente rompe com o mito de que quem tem sabedoria é quem tem idade. Isso não é verdade! Tenho aprendido muito com os jovens." Quando perguntada como se vê daqui a dez anos, Elcilane é enfática: "Me imagino com a mesma qualidade de vida de hoje, porque vou continuar fazendo tudo o que eu faço: me alimentar e dormir bem, praticar atividade física, cultivar amizades e fazer da alegria o motivo maior a minha vida."

No futuro, Maria Cristina diz que deseja estar com a autoestima em dia: "Meu desejo é me continuar me sentindo uma pessoa atrativa, de bem com a vida e com as pessoas que convivo."

A geriatra Andrea Gondim explica que é importante preservar a autonomia e independência dos idosos, mesmo neste período de pandemia. "Isso é muito importante para garantir a saúde e o bem-estar dos nossos idosos". Tayná ressalta que 'distanciamento social' não é o mesmo que 'isolamento social'. "Muitos idosos se sentem carentes neste momento da vida, e se distanciar que quem amam torna tudo ainda mais sofrido. A minha dica é manter os contatos." Andrea complementa: Também é importante resgatar aquilo que há de mais íntimo em cada um dos idosos... Resgatar os propósitos de vida, sejam familiares, pessoais ou profissionais. É preciso continuar pensando no futuro."

Fonte: Tayná Athayde (nutróloga)

Saúde da mulher de A a Z
Saúde

Saúde da mulher de A a Z

Fique de olho em dicas e cuidados essenciais para prevenir e tratar algumas doenças. A prevenção e os cuidados diários devem acontecer em todas as idades.

Leucemia: Entenda essa doença
Saúde

Leucemia: Entenda essa doença

A doença dos glóbulos brancos, de ordem maligna e origem desconhecida.

Doenças raras e COVID-19
Saúde

Doenças raras e COVID-19

Entenda um pouco sobre a Fibrose Pulmonar.

2021 E A Pandemia
Saúde

2021 E A Pandemia

Sem dúvidas, este início de 2021 está sendo marcado por muita expectativa e questionamentos quanto à pandemia da Covid-19. Afinal, quais serão os cuidados com a saúde daqui pra frente? Como será com relação à vacina? Fique por dentro de tudo, vendo a nossa matéria!

2021 e Pandemia: expectativas e cuidados no ano novo

Covid X Saúde

O início de 2021 foi marcado por expectativas e dúvidas sobre o rumo da pandemia e de como serão os cuidados com a saúde daqui para frente. Por isso, o Sempre Bem conversou com a infectologista Terezinha Silva Leitão para esclarecer as maiores dúvidas da população.

A vacina funciona igual para todo mundo? Provavelmente sim. Durante os testes, escolhem determinadas populações que geralmente são adultos. Normalmente, excluem gestantes, crianças e idosos, mas é possível estender a efetividade da vacina para as populações que não foram testadas. Dessa forma, pode-se dizer que a vacina vai cobrir toda a população mundial.

Com relação a vacina, há idade mínima para ser vacinado? Provavelmente sim, mas a expectativa é que a maioria ou quase todo mundo possa ser vacinado, embora dependa de cada vacina. Temos uma variedade muito grande de vacinas de vírus inativados, de RNA e DNA. Por isso, cada imunizante tem especificidades e precisamos aguardar a orientação dos Fabricantes.

Uma vacina funciona igual para todo mundo? Tudo indica que sim. Temos a expectativa de que a vacina englobe toda a população, mas precisamos lembrar que também depende da resposta individual de cada um. O que se espera é que a maioria das pessoas respondam ao imunizante.

Quem teve Covid-19 precisa tomar vacina? Sim. Os anticorpos tem um tempo de vida médio, que desaparecem com o tempo. Por isso, a pessoa fica suscetível a uma nova infecção. Com a vacina, é possível dar um reforço e manter a imunidade, mas não sabemos por quanto tempo a vacina vai proteger. É possível que tenha uma proteção semelhante à Influenza, que é anual. Dessa forma, ela entra no calendário anual de vacinação.

A vacina será em duas doses? A maioria sim. A primeira dose protege em partes e, na segunda dose, o paciente recebe um novo estímulo à resposta imune, fazendo com que o organismo produza uma quantidade de anticorpos muito maior.

E em relação às reações adversas? As mais frequentes já são conhecidas e não foram graves. Isso prova a segurança da vacina.

A médica explica, ainda, que as fake news - com a de que a vacina modifica o DNA - devem ser esclarecidas. Segundo ela, não é possível modificar um DNA que já existe e faz parte das nossas células. "Nenhuma vacina penetra no núcleo da célula e faz mudanças. Ela sempre atua no interior da célula, mas não no núcleo, onde fica o DNA. Para mim, a vacina é o maior avanço da humanidade, pois ela prolongou a nossa expectativa de vida, que já foi de 40 a 50 anos."

Covid X Finanças:

Muita gente está apostando na vacina como o primeiro passo para melhorar de vida, especialmente quem está se virando de muitas formas para conseguir pagar as contas no final do mês. Esse é o caso da porteira Aline Matias, que perdeu o emprego na pandemia. "Eu trabalhava como segurança de eventos, primeira classe a parar e última a voltar. O que me ajudou neste período foi o Auxílio Emergencial. Hoje, felizmente, voltei a trabalhar e estou me reorganizando", comemora.

Aline explica, ainda, que não tem o hábito de guardar dinheiro e se diz desorganizada financeiramente. Na pandemia, dependeu de amigos e parentes para pagar as contas. O economista Mário Monteiro aconselha que se faça um plano de vida. "O que você pretende fazer em 2021? Quais são os gastos? Quais são as aquisições? Além disso, é preciso ter uma reserva financeira. Isso precisa ser uma meta, um objetivo de vida".

Covid X Futuro:

A expectativa é que a máscara e o distanciamento social continuem. "Precisamos ir aos poucos até a gente ter segurança de que toda a população foi vacinada e que não há mais circulação viral. Somente neste cenário poderemos dispensar a máscara e voltar a aglomerar. Por enquanto, temos um longo caminho que provavelmente durará todo o ano de 2021", explica a infectologista Terezinha Silva Leitão.

Com o Covid-19 em alta, uma série de outras doenças não deixaram de existir e merecem atenção. A médica explica que devido a pandemia, em 2020 muitas pessoas não atualizaram o calendário de vacinação e que as vacinas precisam ser repostas em 2021.

A administradora Wivi Nogueira conta que na família, vacinação é uma prioridade e dá algumas dicas para manter o calendário de vacinação em dia neste período. "Procuramos sempre o mesmo posto de saúde e, antes de vacinar, eu sempre telefono para verificar se tem estoque. Como tenho um bebê de 1 ano e 3 meses, organizamos de forma que o meu esposo entra primeiro e, em seguida o bebê". Ha alguns anos, a administradora teve câncer de mama, por isso, faz parte do grupo de risco. "Tenho cuidado redobrado com a saúde e mantenho a minha caderneta de vacinação com as datas, doses e reforços. As vacinas disponibilizadas estão sempre em dia!", comemora. Já em relação ao filho, não é diferente. "Confirmo com a pediatra o calendário do período. A vacinação é uma forma de blindar o nosso organismo contra as doenças, por isso, é uma prioridade."

A médica infectologista Terezinha Silva Leitão aconselha a aproveitar o período para observar a carteira de vacinação das crianças e idosos. "Existem vacinas específicas para cada público e precisamos nos unir e nos prevenir de todas as doenças", finaliza.

Fonte: Terezinha Silva Leitão (infectologista)

Dia Mundial do Câncer - conscientizar é preciso
Saúde

Dia Mundial do Câncer - conscientizar é preciso

Dia 4 de fevereiro é comemorado anualmente, O Dia Mundial de Combate ao Câncer. Essa data tem como objetivo aumentar a conscientização sobre o câncer e incentivar sua preservação, e com a descoberta, possibilitar que as pessoas tenham tratamento.

Como O Esporte Ajuda A Superar A Síndrome Do Pânico
Saúde

Como O Esporte Ajuda A Superar A Síndrome Do Pânico

Sabia que realizar atividade física é essencial para a saúde física e mental? O Sempre Bem ouviu a secretária executiva Edy Almeida pra saber como ela fez do esporte uma ferramenta para ajudá-la a superar a síndrome do pânico. Assista e compartilhe!

Estima-se que entre 4 e 6 milhões de brasileiros sofram com a síndrome ou transtorno de pânico. A secretária executiva Edy Almeida começou a sentir os sintomas da doença aos 24 anos. Na ocasião, psiquiatras recomendaram o uso contínuo de remédios antidepressivos, mas a solução veio através da prática regular de exercícios físicos. "Eu abracei a ideia e comecei a me movimentar. Primeiro, me matriculei em uma academia, mas foi na corrida que eu encontrei a minha cura." Para ela, os benefícios envolveram bom humor, alegria e maior facilidade em resolver situações. "Eu sentia liberdade, empoderamento e vontade de ser uma pessoa mais gentil."

Quando questionada sobre como era a sua vida antes do esporte, Edy é enfática: "Com a síndrome do pânico, eu sentia muito medo de morrer... Eu sempre fui uma pessoa muito saudável e que gosta de viver intensamente. De repente, essa síndrome chegou e me abateu". A boa notícia é que, graças ao esporte, hoje ela se considera curada.

Nas ruas, a opinião é unânime: O ciclista Adriano Soeiro sente que consegue dormir melhor, é mais produtivo no trabalho e vive com mais qualidade de vida. Para Davi Max, disposição é o melhor benefício.

A psiquiatra Dafne Albuquerque explica que uma vida longe do sedentarismo proporciona bem-estar físico e psicológico devido a liberação de endorfina.

De acordo com a psicóloga Tamires Mesquita, pessoas que convivem com indivíduos com algum problema mental devem exercitar a empatia, sem julgamentos e com acolhimento. Já a médica ressalta: "Às vezes, alguém está tão focado no problema que não vê outra saída ou solução. Neste sentido, a rede de apoio e o suporte social ajuda a abrir a visão e mostra que existem outros caminhos, que perpassam pela ajuda especializada, para superar da melhor maneira possível.

Fonte: Dafne Albuquerque (psiquiatra).

A Influência Das Redes Sociais Na Nossa Saúde Mental
Saúde

A Influência Das Redes Sociais Na Nossa Saúde Mental

Você já parou pra pensar no impacto das redes sociais na nossa saúde mental? Pois é, o excesso de tempo nessas plataformas tem causado o adoecimento de muitos jovens. Por isso, o programa Pague Menos Sempre Bem preparou uma matéria sobre esse assunto. Assista!

Em tempos de internet, as redes sociais se tornaram escapes para lidar com o distanciamento social, mas isso pode afetar a nossa saúde mental se a gente não souber fazer bom uso dessas ferramentas tecnológicas. As redes sociais são uma ótima ferramenta, especialmente neste momento de pandemia, em que elas têm servido como um vínculo forte, mas é preciso controlar o uso. A conexão traz uma enxurrada de informações e pode ocasionar sérios problemas emocionais e psicológicos. Existe um fenômeno conhecido como medo de estar por fora, como se sempre houvesse algo novo que precisamos acompanhar e isso traz angústia. Outra angústia comum também é a de processar a quantidade de informação que nos chegam. É preciso adquirir a capacidade de filtrar o que vemos nas redes sociais, o que nos faz bem e o que nos faz mal.

Os idosos estão cada vez mais inseridos nesse universo e nesse contexto há uma conexão entre o jovem e o idoso. Muitas vezes os jovens ensinam aos mais velhos e eles se adaptam a esse novo universo.

É preciso ter cuidado com a questão da autoestima. O tempo inteiro, nas redes sociais, a gente é comparado e não raro sermos influenciados por padrões que são mostrados, como o desejo ter determinado corpo ou condição financeira que vemos na internet. É fundamental que haja um autocontrole e a seletividade para não deixar que coisas assim interfiram na vida de cada um. Controlar as redes sociais e não deixá-las no comando é fundamental. Estipule um limite para usar. A nossa vida não é só a rede social, por isso é preciso atenção. Estar o tempo todo on line pode significar alguma falta, a necessidade da superexposição on line pode ser algum problema emocional. Vale lembrar que tudo em excesso faz mal.

o autocontrole deve ser ensinado pelos pais. Os responsáveis devem instruir as crianças, explicando sobre o ambiente da internet para que os pequenos já criem a noção dos riscos e perigos. É importante que os pais monitorem o uso da internet dos filhos para controlarem o que eles vêem e quanto tempo ficam conectados. Existem aplicativos próprios para isso. Vale ainda a ressalva de que o exemplo deve vir de casa e se os pais não querem que os filhos fiquem muito tempo nas redes sociais, também devem prestar atenção no seu próprio uso.

Fonte: Thamires Mesquita (psicóloga), Kelli Angelini (gerente jurídica NIC.br e coordenadora do projeto #InternetComResponsa

Home Office X Saúde Mental
Saúde

Home Office X Saúde Mental

A prática do home office e do homeschoooling se popularizou com a pandemia do novo coronavírus. Mas você sabia que se não forem bem administradas, essas atividades podem prejudicar a saúde mental? Pois é! Confira a matéria e entenda.

Em uma pesquisa da Fundação Getulio Vargas, quarenta e cinco por cento dos entrevistados que trabalham em Home Office apresentaram desequilíbrio emocional e baixo nível de bem-estar.

É preciso atenção para não deixar a rotina do trabalho invadir o espaço de convivência em casa. Não se pode perder o limite, o tempo disponível para o trabalho, em casa, deve ser correspondente ao do trabalho externo, caso contrário pode haver uma sobrecarga mental, desencadeando um nível extremo de estresse. Além disso tem ainda a questão do homeschooling, para quem tem filhos, o gerenciamento dos estudos dos filhos é uma preocupação a mais, que pode aumentar ainda mais a pressão psicológica e a tensão.

E não são só os adultos que estão passando por esse desafio. Um estudo da Fundação Oswaldo Cruz mostra que quase metade dos adolescentes entrevistados estão mais nervosos, ansiosos e com instabilidade de humor. O fato de estarem estudando, sem o apoio presencial dos professores, desencadeia crises de choro, medo, tristeza e muita ansiedade, cada vez mais nos jovens. Uma forma de tentar amenizar esses sentimentos é compartilhando-os com os amigos que também estejam enfrentando a mesma situação. Esse é um apoio importante, uma forma confortante de saber que todos vão passar por isso juntos, além do acolhimento dos pais, que é fundamental nesse processo.

Fonte: Tamires Mesquita (psicóloga) e Vanessa Duarte (nutricionista).

Saúde emocional: como está a sua?
Saúde

Saúde emocional: como está a sua?

Quem cuida da mente, cuida da vida.

Ovário policístico e Endometriose: entenda essas doenças
Saúde

Ovário policístico e Endometriose: entenda essas doenças

Endometriose e síndrome do ovário policístico não têm cura, mas têm tratamento.

Saúde Express – Cuidando Da Saúde Bucal Dos Bebês E Crianças
Saúde

Saúde Express – Cuidando Da Saúde Bucal Dos Bebês E Crianças

Nessa semana, o Saúde Express fala de um assunto superimportante: a saúde bucal das crianças. Ao contrário do que muitos pensam, os cuidados com a higiene bucal devem começar desde bebês. Veja tudo sobre isso na matéria!

Dores Articulares
Saúde

Dores Articulares

A população brasileira é a 2ª mais estressada do mundo. Muitos não sabem, mas a tensão, a ansiedade e até mesmo a depressão também podem provocar dores musculares e articulares em todo o corpo. Por isso, conversamos com o ortopedista Rodrigo Astolfi para entender melhor como solucionar esses casos. Confere aqui!

Vacina da Covid-19 representa esperança de dias melhores?
Saúde

Vacina da Covid-19 representa esperança de dias melhores?

Mesmo com a eficácia comprovada das vacinas, imunizar 7,8 bilhões de habitantes no mundo exige tempo.

Sopro no coração: Quando se preocupar?
Saúde

Sopro no coração: Quando se preocupar?

O ruído é consequência do estreitamento da válvula mitral. Mesmo assim, o sopro no coração não é considerado doença.


As mais lidas

A doença coronária: causas, sintomas e tratamentos
Saúde

A doença coronária: causas, sintomas e tratamentos

Como aliviar a dor na coluna
Saúde

Como aliviar a dor na coluna

Azia ou má digestão? Entenda a diferença e os cuidados
Saúde

Azia ou má digestão? Entenda a diferença e os cuidados

Secreção na mama é normal?
Mente e Comportamento

Secreção na mama é normal?

Reposição de vitaminas para idosos: por que é necessário?
Saúde

Reposição de vitaminas para idosos: por que é necessário?