Logo Sempre Bem
Ícone de busca
Ícone do ecommerce
Ícone de busca

Quais são os principais sintomas de covid-19 e o que fazer?

Os sintomas de Covid-19 vão da sugestão de um leve resfriado ao estágio mais avançado de falta de ar e febre alta, por isso, é importante ficar atento aos sinais apresentados pelo organismo.

Tempo estimado: 5 min

Facebook
Twitter
WhatsApp
Quais são os principais sintomas de covid-19 e o que fazer?

Você sabe quais os sintomas de COVID-19? É importante atentar aos sinais para buscar ajuda imediata e assim, evitar o agravamento da doença.

Os primeiros sintomas de COVID-19 costumam ser semelhantes aos de uma gripe, mas quando agravados apresentam características diferenciadas e adversas.Logo, um diagnóstico rápido ajuda a garantir um tratamento eficaz.

Assim, é fundamental observar todos os sinais emitidos pelo corpo e pelo organismo, comparar com os que apontam para a doença e buscar o quanto antes a confirmação. Caso seja detectada a ação do coronavírus, com os cuidados iniciais, as chances de recuperação são maiores.

Neste post você vai saber o que é COVID-19 e quais são os sintomas da doença em seus diferentes estágios. Continue lendo e veja quais são as formas de transmissão e diagnóstico para se prevenir ao máximo desse inimigo invisível!

O que é Covid-19?

Causada pelo vírus Sars-CoV-2, também chamado de novo coronavírus, é uma doença que afeta o sistema respiratório acarretando infecções. As pessoas, quando acometidas, podem se manter assintomáticas ou evoluir para um quadro mais grave.

Segundo a OMS – Organização Mundial de Saúde, cerca de 80% das pessoas que apresentam e desenvolvem os sintomas, se recuperam sem a necessidade de tratamento hospitalar ou internações.

Entretanto, ainda segundo o órgão, uma média de 15% evoluem para um estágio de gravidade, precisando de oxigênio. Enquanto, 5% ficam ainda mais graves ao ponto de cuidados intensivos como a temida intubação, por exemplo.

Quais são os sintomas da doença?

Os sintomas de COVID-19 começam semelhantes ao de um resfriado, gripe ou até mesmo pneumonia grave, confundindo quem sente os desconfortos. No geral, a pessoa apresenta como primeiros sintomas:

fadiga;
febre;
tosse seca.

Entre os sintomas menos característicos da doença estão perda do paladar ou olfato, congestão nasal, dor de garganta e cabeça, conjuntivite, dores musculares ou articulares, náusea ou vômito, diarreia, calafrios, erupção cutânea na pele, descoloração dos dedos e tonturas.

Já no estágio mais crítico, os pacientes manifestam os seguintes sintomas:

falta de ar;
confusão;
dor persistente ou pressão no peito;
febre alta – acima de 38°C;
perda de fala ou movimento; 
perda de apetite.

Em crianças e bebês os sintomas podem ser diferentes, como: 

nariz escorrendo; 
dor de garganta; 
dor de barriga; 
dor de cabeça;
tosse e dificuldade respiratória;
perda de paladar;
diarreia; 
náusea e vômitos.

Quais são as formas de transmissão, prevenção e diagnóstico?

Embora todas as formas de transmissão sejam ainda desconhecidas, existem pelo menos três já detectadas. Elas são, provavelmente, a forma de disseminar a contaminação rapidamente, de pessoa para pessoa, quando não adotados os métodos adequados de prevenção.

vias respiratórias: por meio das gotículas resultantes de espirros, tosse ou fala de pessoas infectadas quando circulam pelo ar;
contato físico direto: por beijos, abraços ou qualquer toque de pessoas contaminadas;
contato com superfícies contaminadas: por toque em objetos como maçanetas, corrimões ou compartilhamento de utensílios e ferramentas que tenham sido contatados por pessoas contaminadas.

Para evitar o contato com as gotículas contaminadas lançadas no ar as formas de prevenção recomendadas são:

uso contínuo de máscara de proteção para nariz e boca;
higienização completa e contínua das mãos;
utilização constante de álcool gel nas mãos, superfícies e objetos;
distanciamento seguro.

Além disso, existem testes para diagnóstico de COVID-19, que são realizados com base em exames clínicos e laboratoriais, padrões epidemiológicos. Conheça os principais deles:

RT-PCR

É o teste mais recomendado para sintomas de COVID- 19 apresentados entre o 3º e o 7º dia, período de carga viral elevada. Nele é possível detectar a presença genética (RNA) do Sars-Cov-2, por meio da análise da secreção respiratória coletada no nariz ou na garganta com o uso do swab, objeto similar a um cotonete.

Teste de anticorpos

O teste de anticorpos é utilizado para saber se você já teve Covid-19 em algum momento. Esse tipo de teste utiliza uma amostra de sangue para detectar anticorpos, como o IgA, IgM e IgG. 

Os anticorpos IgM e IgA são produzidos em torno do décimo dia de infecção, mas têm duração limitada. Já os IgG são produzidos por volta de 15 dias após o contágio e podem permanecer por meses ou anos na corrente sanguínea do paciente.

Teste PCR-LAMP

O teste PCR-LAMP é similar ao teste RT-PCR, mas tem alguns benefícios adicionais. Assim, ele também detecta o RNA do novo coronavírus com alta precisão para diagnosticar se está com a doença e pode ser feito a partir dos primeiros dias de infecção.

Suas vantagens são a forma de coleta e a rapidez na análise do exame, já que o teste é feito com uma amostra de saliva, ou seja, não requer o uso de swab e o resultado é liberado em até 24h.

Testes de antígenos 

Também chamados de "testes rápidos", detectam fragmentos da membrana que envolve o material genético do novo coronavírus, diagnosticando se o paciente está com Covid-19.

Para isso, é utilizado um swab para coletar secreção do fundo do nariz ou da garganta. A recomendação é que o teste seja feito entre o 3º e o 7º dia de sintomas. Dessa maneira, a vantagem desse tipo de exame é a rapidez no resultado, que geralmente fica pronto em menos de 30 minutos.

Ao menor sinal desses sintomas procure imediatamente auxílio especializado, como o Clinic Farma, consultório farmacêutico da Pague Menos. Aqui, você encontra orientação profissional e indicações para se dirigir a um hospital, e os seguintes exames: PCR-Lamp, testes com antígenos nasais para detectar a presença do novo coronavírus e anticorpos para identificar células de defesa.

Assim, não espere seu estado se agravar para buscar um diagnóstico e tratamento adequado, procure nossos especialistas, já que acreditamos que em meio a pandemia, estar atento aos sinais do organismo é essencial para se manter saudável. Por isso, aderimos a campanha Vai dar Certo em conjunto com outras organizações, para cuidarmos de você, garantindo todo o apoio necessário durante esse período.