Logo Sempre Bem
Ícone de busca
Ícone do ecommerce
Ícone de busca

A importância do esporte para saúde física e mental

A prática regular de exercícios físicos previne doenças, atua na saúde mental e promove a longevidade. Saiba por que deixar o sedentarismo de lado.

Tempo estimado: 4 min

Facebook
Twitter
WhatsApp
A importância do esporte para saúde física e mental

Por: Ladinne Campi

No final do último ano, a Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou novas diretrizes sobre atividade física e comportamento sedentário. O documento defende que a prática de exercícios deve ser frequente em todas as pessoas, independente da idade. No caso dos adultos, recomenda-se entre 150 e 300 minutos por semana, bem como 60 minutos por dia para crianças e adolescentes.

A recomendação é um reflexo dos desfechos do sedentarismo: até cinco milhões de mortes poderiam ser evitadas, todos os anos, se a população mundial fosse mais ativa. Mas não é só isso: Segundo o profissional de educação física Henrique Cruz, o sedentarismo tem relação direta com a obesidade – presente em 10% da população mundial e doenças associadas como hipertensão, diabetes tipo 2, asma, esteatose, apneia do sono, cancro, doenças cardiovasculares e câncer.

Segundo a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de SP (FAPESP), uma recente pesquisa realizada com 938 brasileiros que contraíram Covid-19 constatou diminuição de 34% em casos de internação em pessoas ativas.

Infelizmente, os dados levantados pela OMS revelam que um em cada quatro adultos não praticam atividade física suficiente. No caso dos adolescentes, a situação é ainda mais crítica: quatro em cada cinco pessoas são sedentárias. Além dos riscos supracitados, esses números geram um custo bilionário para a saúde pública.

A importância do esporte para a manutenção da saúde física é indiscutível. Mas, os benefícios também envolvem a saúde mental. “Estudos apontam que transtornos mentais são minimizados e, em alguns casos, o esporte é um pilar importante no tratamento da depressão. A socialização também é determinante para o bem-estar dos praticantes”, explica Henrique.

Através da liberação de neurotransmissores que melhoram o funcionamento cerebral, é possível sentir um bem-estar global. Hormônios como serotonina, endorfina e feniletilamina atuam no humor, redução da irritabilidade e melhoram da disposição e produtividade. A autoestima também sai ganhando quando metas são superadas.

Uma modalidade para chamar de sua

Quem busca sair do sedentarismo deve, em primeiro lugar, levar em consideração as próprias afinidades. “A dica é encontrar uma atividade que simpatize. Dentro do universo da atividade física existem inúmeras possibilidades a serem exploradas: futebol, musculação, funcional, vôlei, corrida de rua, natação, crossfit… Se identificar com o esporte é um pilar importante para garantir continuidade. A continuidade gera resultados como perda de peso, aumento da resistência, melhor mobilidade, segurança e agilidade para executar tarefas do dia a dia. Por fim, os resultados geram motivação”, explica o profissional de educação física.

A boa notícia é que a busca por uma vida saudável pode começar a qualquer momento. “Sempre é tempo de dar o primeiro passo, inclusive na terceira idade. A partir dos 65 anos, por exemplo, é importante que o indivíduo foque em atividades que trabalham equilíbrio, coordenação e fortalecimento muscular, responsáveis pela autonomia do idoso”. Mas, para isso, Henrique aconselha buscar ajuda profissional: “Antes de começar, é imprescindível realizar um check-up para descartar possíveis limitações. A avaliação de um profissional de educação física também é indispensável para descobrir se existem lesões e até o grau de condicionamento físico da pessoa”.

Sempre atenta ao bem-estar dos brasileiros, a Pague Menos, primeira rede de farmácias presente em todo o território nacional através de 1.100 lojas, agora é Patrocinadora Oficial da Seleção Brasileira. A parceria imprime o compromisso com o slogan “Viva Plenamente” e, mais uma vez, sai na frente fazendo a diferença através de atitudes inovadoras e cidadãs.

FONTE: Henrique Cruz, Profissional de Educação Física. CREF: 8917/G-CE

CONTEÚDO RELACIONADO

Como o esporte ajuda a superar a síndrome do pânico

Esportes: Superando Limites

O esporte que se adequa melhor a sua rotina