Logo Sempre Bem
Ícone de busca
Ícone do ecommerce
Ícone de busca

Por que ácido fólico é importante na gestação?

Tempo estimado: 5 min

Facebook
Twitter
WhatsApp
Por que ácido fólico é importante na gestação?

A gravidez é um momento de muitas transformações no organismo da futura mamãe. Para dar conta da evolução saudável do feto, uma alimentação regrada é essencial. É nesse contexto que entra o ácido fólico, auxiliando na prevenção de malformações neurológicas no bebê e fortalecendo o sistema imunológico da gestante, a fim de evitar problemas de saúde.

Para saber a importância desse nutriente, o Sempre Bem ouviu a nutróloga Tayná Athayde, que é especialista em nutrologia esportiva, metabolismo e maternidade.

Qual a função do ácido fólico no corpo humano? 

Tayná explica que o ácido fólico é uma forma sintética da vitamina B9 (uma das vitaminas do complexo B), sendo um potente antioxidante. Ele ajuda na síntese e reparação do nosso DNA, na divisão de nossas células, formação de hemácias, produção de proteínas, entre outras coisas. Portanto, esse nutriente é importante para a saúde em todas as fases da vida.

E o que muda com a gestação?

Durante a gravidez, o ácido fólico é fundamental, pois vai auxiliar na formação e no desenvolvimento fetal. “Na gestação, o folato, como é chamada a vitamina B9 encontrada nos alimentos, é importante para a formação do sistema nervoso do bebê, ajudando no fechamento do tubo neural, uma estrutura embrionária que dará origem ao cérebro e à medula espinhal”, detalha a especialista.

Veja também esse Fica a Dica superespecial (Como voltar à forma depois da gravidez)

 

Suplemento de ácido fólico

A suplementação de ácido fólico costuma ser recomendada para gestantes, pois nem sempre é possível quantificar com precisão a ingestão diária de folato. Isso porque a forma de preparar os alimentos pode causar perdas do nutriente. Além disso, alguns medicamentos também prejudicam a absorção do ácido fólico.

Quando começar a tomar?

Diversas pesquisas revelam que o ácido fólico é essencial para a formação do tubo neural do feto. Essa estrutura deve se fechar por volta do 28º dia de gestação, período em que muitas mulheres ainda não sabem que estão grávidas. 

“Devido a ele [ácido fólico] ser importante também para divisão celular, reparo e síntese de DNA, é necessária a suplementação prévia à gestação, pelo menos 1 mês antes da concepção. Isso ajuda a diminuir inclusive alterações cromossômicas”, destaca Tayná.

Outra coisa para se ter em mente é que a formação dos órgãos do bebê ocorre durante todo o primeiro trimestre. Portanto, o suplemento de ácido fólico pode ser recomendado nesse período.

Como ajuda a saúde materna?

Ao ingerir ácido fólico, a futura mamãe cuida da saúde do bebê e dela ao mesmo tempo. E o motivo é porque esse nutriente é essencial à qualidade de vida de qualquer pessoa. “Para as mamães, pode ajudar ainda a diminuir a pressão arterial, na produção do hormônio serotonina (hormônio da felicidade), além de fortalecer nosso sistema imunológico”, afirma a especialista.

Para tirar dúvida sobre os cuidados de beleza nessa fase, leia o artigo (Beleza na gravidez: como manter-se linda)

 

Outro benefício desse nutriente é que ele pode prevenir a anemia, uma vez que atua na renovação de glóbulos vermelhos do sangue.

Alimentos com ácido fólico

A natureza é rica e costuma fornecer os diversos nutrientes que precisamos por meio da alimentação. O folato é encontrado principalmente nas folhas verde-escuras, leguminosas, além de grãos integrais e cereais.

Dica da nutróloga

A dra. Tayná Athayde deixou uma lista de alimentos que são ricos em ácido fólico para você não deixar faltar na sua dieta.

  • Espinafre, salsinha e couve: são alimentos muito necessários quando se quer dar um up na quantidade de folato no organismo e devem ser consumidos preferencialmente crus;
  • Aspargos: o consumo de uma xícara de aspargos cozidos corresponde a 65% da necessidade diária de ácido fólico;
  • Brócolis: é excelente também para desintoxicação, mas deve-se evitar cozinhar muito para não perder os nutrientes;
  • Beterraba crua: por ser rica em nutrientes, como zinco, potássio, entre outros, ela é ótima também para prevenir anemia;
  • Feijões, ervilha e lentilha: uma tigela pequena desses grãos deve ser consumida diariamente;
  • Amendoim: é um aliado e tanto na prevenção de alguns tipos de câncer; 
  • Gérmen de trigo: Um dos cereais mais consumidos no mundo, ele é fonte de diversos nutrientes, como ferro, zinco, potássio, cálcio, magnésio, além das vitaminas A, B1, B3, B6, ácido fólico e vitamina E.

Além desses alimentos, o consumo regular de arroz e pão integrais, gema de ovo, fígado e peixes também ajuda na manutenção de bons níveis de ácido fólico no organismo.

Assuntos relacionados 

Fonte:

dra. tayna athayde nutrologa

Tayná Athayde

Médica com especialização em nutrologia, nutrologia esportiva e fellowship em nutrition and metabolics | Instagram: @dra_taynaathayde 

Referências externas: Revista Crescer | Tua Saúde