Logo Sempre Bem
Ícone de busca
Ícone do ecommerce
Ícone de busca

Mulheres de fases. As dores femininas ao longo da vida

Tempo estimado: 9 min

Facebook
Twitter
WhatsApp
Mulheres de fases. As dores femininas ao longo da vida

A mulher passa por transformações ao longo da vida e, por isso, é preciso estar sempre alerta aos cuidados, para estar com a saúde sempre em dia e evitar as terríveis dores femininas.

Adolescência

Essa é a fase do início do amadurecimento feminino, é quando os hormônios estão mais sensíveis e causam as transformações no corpo. "A adolescência é considerada, por definição, de 12 a 19 anos, mas as mudanças no corpo podem começar bem antes", explica Juliana Risso, ginecologista.

A menstruação é a preparação do endométrio e é possível sentir dores intensas durante o ciclo menstrual. As cólicas menstruais se iniciam por volta de dois anos após a primeira menstruação. Elas costumam ser mais intensas na adolescência.

Algumas garotas também apresentam um fluxo menstrual intenso. Mudanças nos níveis de hormônios, perda ou ganho de peso, mudanças na alimentação e rotinas de exercícios exageradas são algumas das causas. 

Fase adulta

Nessa fase, é importante uma rotina de acompanhamento ginecológico. Com vida sexual ativa, é preciso mais atenção e cuidado.

Exames regulares, papanicolau, mamografia podem ajudar a diagnosticar precocemente o câncer de colo de útero, o câncer de mama e ajudar a tratá-lo de forma mais eficaz, aumentando as chances de cura. Outros exames ajudam a diagnosticar DSTs e outras doenças.    

A TPM, para muitas, é companheira, uma fase pra lá de difícil, todo mundo sabe. Durante esse período, podem aparecer sintomas psicológicos e físicos, que podem desaparecer no primeiro dia do fluxo menstrual e, em algumas mulheres, somente com o fim do fluxo. A principal causa da TPM é a alteração hormonal durante o período menstrual, que interfere no sistema nervoso central.

Algumas mulheres também afirmam sentir vontade de comer doces, especialmente chocolates, durante esse período. Para se ter uma ideia, 45% das mulheres apresentam compulsão por doces durante a tensão pré-menstrual.

NO BRASIL, 4 MILHÕES DE MULHERES NUNCA FORAM AO GINECOLOGISTA

Fonte: Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia

Menopausa

Menopausa é o nome que se dá à última menstruação. Em geral, ocorre entre os 45 e os 55 anos. Antes disso, é chamada de menopausa prematura ou precoce.

Nessa fase, também é comum aparecerem alguns desconfortos. Ondas de calor, "aumento de peso, atrofia vaginal e diminuição da libido, alterações do sono, podendo causar até depressão, ansiedade, entre outros, mas não significa que todas as mulheres vão sentir, cada uma é um ser individual", destaca Juliana.

A reposição hormonal ajuda a aliviar os sintomas físicos, psíquicos e os relacionados com os órgãos genitais no climatério. Além disso, funciona como proteção contra a osteoporose e assegura melhor qualidade de vida para a mulher.  

A vilã osteoporose

Com a idade, vem o enfraquecimento ósseo, a osteoporose. Doença caracterizada pela redução da massa óssea, "quando muito severa, pode ocasionar fraturas principalmente nas vértebras, no colo do fêmur e no punho", destaca Maria Inês Queiroga, reumatologista do Rio de Janeiro.

O tratamento consiste em reposição de cálcio, vitamina D, exposição à luz solar, exercícios físicos, principalmente caminhada e musculação, e medicamentos que atuam reduzindo a atividade das células reabsortivas (osteoclásticas) ou aqueles que aumentem a atividade das células formadoras (osteoblásticas)".  

Cresce a incidência de doenças cardíacas em mulheres

A falta de atividade física e dieta inadequada levam à obesidade, que é um dos fatores de risco mais preocupantes; quando a mulher fuma, o risco de doença cardiovascular aumenta 25%, comparado a homens fumantes.

Com o envelhecimento da população e a mudança do estilo de vida, as doenças cardiovasculares passaram a liderar as causas de mortalidade feminina.  

Prisão de ventre ou constipação

Atinge até 30% da população, sendo mais comum em mulheres. Embora fácil de prevenir e de tratar, ela afeta negativamente a qualidade de vida. É mais comum entre as mulheres devido à influência dos hormônios. Antes da menstruação, por exemplo, muitas mulheres notam alteração do funcionamento do intestino.

Alguns alimentos à base de fibras, presentes nas frutas, verduras, legumes e grãos, podem ajudar, sempre combinados ao consumo de bastante líquido. Mas, em alguns casos é preciso buscar ajuda médica.  

Dores femininas

Dor é uma experiência sensorial ou emocional desagradável que ocorre em diferentes graus de intensidade.

As dores femininas podem ter origens variadas, causam um sofrimento intenso e recorrente, que pode se arrastar por anos sem diagnóstico e interferir na autoestima e na qualidade de vida das mulheres. Procure um médico para saber a causa da dor. Vamos conhecê-las?  

PRINCIPAL DOR FEMININA, A CÓLICA MENSTRUAL AFETA 75% DAS MULHERES

CÓLICA MENSTRUAL

Dor pélvica "acompanhada por vezes de náuseas, vômitos, tonturas, dores de cabeça e desmaios, levando à incapacidade produtiva da mulher. Afeta principalmente as adolescentes e mulheres jovens, melhorando com a idade adulta e após partos", esclarece Edla.

Melhor tratamento  

Exercícios físicos;

Calor em região pélvica (compressas ou bolsas térmicas);

Métodos contraceptivos de uso contínuo;

Medicamentos (anti-inflamatórios não esteroides, analgésicos).  

EM 59% DAS MULHERES, A CÓLICA MENSTRUAL VEM ACOMPANHADA DE DORES DE CABEÇA E, EM 46% DELAS, HÁ DORES NAS COSTAS

ENDOMETRIOSE

Essa dor acontece na região pélvica e é uma doença inflamatória, principalmente durante o período reprodutivo da vida da mulher. Segundo a ginecologista, "existe relação com o fator hereditário, imunidade, estresse e ansiedade".

Melhor tratamento

Endometriose inicial: anticoncepcional combinado ou de progesterona.

Endometriose avançada ou profunda: tratamento cirúrgico e complementação clínica.

A ENDOMETRIOSE AFETA MAIS DE 175 MILHÕES DE MULHERES NO MUNDO

Fonte: Organização Mundial da Saúde (OMS)

ENXAQUECA MENSTRUAL

Geralmente, essa dor de cabeça começa uns dois dias antes e pode durar até dois dias depois do início da menstruação. É causada pela queda nas concentrações de estrógeno. "É uma dor de cabeça que pulsa, latejante e unilateral. Aumenta na presença da luz e pode ser acompanhada de náuseas e, às vezes, vômitos", destaca a ginecologista Edla Amaral. 

Tratamento

Segundo a profissional, triptana de ação rápida, por via oral em comprimidos, administrada no início da crise de enxaqueca e anti-inflamatório.  

Salto alto dói!

Por acharem bonito, para ficarem mais elegantes ou até por adequações no trabalho, as mulheres não abandonam o salto, mesmo com seus defeitos. O uso do salto concentra o peso de quem o usa apenas na ponta do pé, duplicando a carga que os ossos da região conseguem suportar, e o resultado é a dor. E quanto mais alto, pior! O uso diário desses sapatos pode estar prejudicando a sua saúde. Para aliviar a dor, só descendo do salto!  

O peso da bolsa

As bolsas fazem a alegria das mulheres, mas o excesso de peso pode provocar uma série de problemas. A prática é extremamente prejudicial à postura corporal. Carregar muito peso nas costas ou em um dos ombros prejudica de uma só vez a musculatura lombar, a coluna, o pescoço, os ombros, os braços e o quadril.  

ONDE DÓI MAIS?
 
OMBROS: 65%
COSTAS: 22%
PESCOÇO: 11%
 BRAÇO: 2%

Passar anos a fio sob o domínio de dores, ninguém merece! É para abalar o equilíbrio psicológico de qualquer uma, gera impactos físicos e emocionais e se torna um fator estressante. Então, meninas, além de trabalhar a mente, vamos botar o corpo para mexer… Os exercícios físicos ajudam a fortalecer a musculatura e, consequentemente, a fortalecer o corpo e minimizar as dores femininas. Então, mexam-se!

*Este artigo encontra-se originalmente publicado na edição 33 da revista Pague Menos Sempre Bem, que tem como capa Bruna Lombardi.