Logo Sempre Bem
Ícone de busca
Ícone do ecommerce
Ícone de busca

Doenças crônicas: o que são e quais as mais recorrentes

As doenças crônicas são uma das principais causas de mortalidade no mundo e demandam atenção especial. Saiba mais!


Atualizado em:

Tempo estimado: 14 min

Facebook
Twitter
WhatsApp
Doenças crônicas: o que são e quais as mais recorrentes

As doenças crônicas atrapalham o bom funcionamento do corpo e de algumas de suas funções, causando incômodos e uma série de problemas a seus portadores. Isso porque, embora muitas tenham crises episódicas, essas patologias não têm cura e necessitam acompanhamento contínuo.

Para te explicar melhor o que são essas doenças, quais são as principais e os fatores que podem desencadeá-las, preparamos este conteúdo. Boa leitura!

O que são doenças crônicas?

Doenças crônicas são aquelas que têm duração maior que um ano e podem demandar cuidados médicos constantes por um longo período. Elas não são emergências médicas, por isso, não precisam de tratamento imediato. Apesar disso, podem ser bastante graves e afetar a qualidade de vida dos indivíduos portadores.

Entre os exemplos de doenças crônicas, pode-se citar o câncer, os problemas cardiovasculares, a obesidade e a diabetes. Essas patologias devem ser monitoradas mesmo quando não há sintomas e muitas precisam ser tratadas pelo resto da vida, por isso, por definição, elas não têm cura.

As doenças crônicas podem requerer cuidados permanentes.

Há diversos aspectos que podem provocar o desenvolvimento, agravamento ou novos episódios sintomáticos dessas doenças, embora algumas tenham caráter hereditário. Alguns deles são o sedentarismo, o tabagismo, a alimentação inadequada e o consumo excessivo de álcool.

Elas são uma das principais causas de mortalidade no Brasil e no mundo, o que impulsionou a criação do Plano de Ação Global de Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT), que visa diminuir a ocorrência das patologias desse tipo que são evitáveis.

Diferença entre doenças crônicas e de tratamento emergencial

A principal diferença entre as doenças crônicas e aquelas chamadas de tratamento emergencial é o risco em relação à vida. Enquanto o indivíduo recebe tratamento prolongado no caso de uma patologia crônica, nas emergências médicas, o cuidado é pontual e urgente, com foco em impedir a morte do paciente.

Isso quer dizer que nas doenças crônicas, o acompanhamento adequado aumenta as chances de prolongar a expectativa de vida e busca dar mais qualidade a ela. Já nas emergências, o risco de morte iminente requer atenção imediata, com tratamento curto e efetivo.

Quais as principais?

São muitas as doenças que são consideradas crônicas, e elas podem afetar diversas partes e funções do organismo. Veja abaixo algumas delas!

Diabetes

A diabetes é uma síndrome metabólica ocasionada pela falta de insulina ou pela dificuldade do hormônio em atuar corretamente no organismo.

A insulina é produzida no pâncreas e tem como função quebrar as moléculas de glicose, gerando energia para o organismo. Quando sua quantidade é insuficiente, podem haver várias consequências, como o aumento da glicemia e complicações na visão e nas artérias.

O aumento da glicemia é uma das consequências da diabetes.

Também pode ocorrer de o hormônio ter uma boa produção, mas o corpo não conseguir aproveitá-lo corretamente.

A diabetes é dividida em tipos:

  • Pré-diabetes: quando há predisposição para desenvolver a doença, um estágio intermediário entre o saudável e a diabetes tipo 1 ou 2;
  • Diabetes tipo 1: o pâncreas deixa de produzir a insulina devido a uma deficiência do sistema imunológico, permitindo que os anticorpos do organismo ataquem as estruturas produtoras desse hormônio;
  • Diabetes tipo 2: ocorre pela relação entre a diminuição da insulina e a deficiência da sua ação, efeito chamado de resistência à insulina;
  • Diabetes gestacional: a resistência à insulina tem um aumento significativo durante a gestação, o que pode aumentar os níveis de glicose no sangue nesse período, causando uma diabetes momentânea.

Entre os principais sintomas da diabetes estão fome e sede excessivas, vontade constante de urinar, fraqueza, mudanças no humor, náuseas, difícil cicatrização de feridas, cortes e emagrecimento.

O tratamento consiste na readequação alimentar e uso de medicamentos orais e injetáveis para reposição das doses necessárias de insulina. Além disso, é necessário o controle da glicose no sangue, por meio da medição para evitar oscilações ao longo do dia.

Câncer

O câncer na realidade é um grupo de doenças crônicas caracterizadas pela multiplicação ou crescimento de células anormais no corpo. Essas patologias podem ocorrer em qualquer fase da vida e não têm causa definida, embora boa parte esteja relacionada a hábitos e fatores genéticos.

Os sintomas variam de acordo com a localização da doença e seu tipo. Os tratamentos também dependem desses condicionantes e podem envolver cirurgias, medicamentos e quimioterapia. Além disso, mesmo nos casos de remissão da patologia, é preciso realizar um monitoramento de possíveis recorrências.

A multiplicação ou crescimento de células anormais é o que causa o câncer.

Hipertensão

A hipertensão, também conhecida como pressão alta, é uma das doenças crônicas mais comuns e aumenta as chances do desenvolvimento de outras patologias. Ela ocorre quando os vasos sanguíneos são contraídos e forçam o coração além das funcionalidades normais.

O ideal é que as medidas de uma pressão normal se mantenham na faixa de até 120 mmHg em seu limite máximo e 80 mmHg em seu limite mínimo.

Os níveis máximo e mínimo de variação são 140 mmHg e 90 mmHg, respectivamente. Uma pessoa com valores acima desses de forma recorrente terá sintomas como dor de cabeça, tontura e mal-estar.

Essa circunstância caracteriza a hipertensão e pode desencadear outras doenças, como derrame, Acidente Vascular Cerebral (AVC) e doenças cardiovasculares.

O tratamento inclui o uso de medicamentos contínuos para regular a pressão, além de mudança de hábitos, como na alimentação.

Asma

A asma é uma das doenças respiratórias crônicas, caracterizada pelo processo de inflamação e formação de muco nas vias aéreas, que provoca crises de falta de ar.

Com a dilatação dos brônquios e obstrução causadas pela condição inflamatória, a passagem de ar para o pulmão é reduzida, gerando consequências como tosse, chiado, falta de ar e sensação do peito comprimido.

A doença, na maioria das vezes, é hereditária e suas crises podem ser provocadas por fatores ambientais, como exposição à poeira, fumaça de cigarro, pelos de animais, estresse emocional e infecções virais.

Indivíduos diagnosticados com a patologia devem contar com acompanhamento médico frequente, pelo menos a cada seis meses. Além disso, pode haver a recomendação de uso contínuo de medicamentos, como os à base de corticoides.

A asma pode demandar o tratamento com medicamento, principalmente durante as crises.

Obesidade

A obesidade é uma doença caracterizada pelo acúmulo de gordura no corpo. A patologia pode ser causada pela ingestão de alimentos além do que será transformado em energia pelo organismo, além de fatores genéticos e psicológicos.

O cálculo utilizado para classificar as situações de obesidade é o Índice de Massa Corporal (IMC), que pode ser medido ao dividir o peso pela altura ao quadrado, em metros.

Para ser considerado obeso, uma pessoa precisa apresentar os seguintes resultados:

  • Obesidade Grau I: 30 a 34,9 kg/m²;
  • Obesidade Grau II: 35 a 39,9 kg/m²;
  • Obesidade Grau III ou mórbida: maior que 40 kg/m².

É uma doença que demanda acompanhamento constante e que aumenta as chances do desenvolvimento de outros problemas de saúde.

O tratamento deve ser indicado por um médico, mas pode envolver desde a mudança de hábitos alimentares até o controle de outros aspectos que podem gerar a patologia, como as alterações hormonais, e cirurgias.

Doença de Parkinson

Parkinson é uma doença crônica degenerativa, que afeta o sistema nervoso central, podendo ocasionar tremores quando os músculos estão em repouso, rigidez muscular, dificuldade em manter o equilíbrio e lentidão nos movimentos.

Além disso, com sua progressão, pode haver comprometimento nas capacidades neurológicas, de deglutição e de mobilidade.

O Parkinson é uma das doenças neurológicas crônicas.

A patologia é causada pelo acúmulo da proteína sinucleína nas células nervosas e pode estar ligada a questões genéticas.

O tratamento geralmente é focado no controle de seus sintomas, já que não há cura, e pode contar com o uso de medicamentos, fisioterapia, terapia ocupacional e, em alguns casos, cirurgias.

Alzheimer

O Alzheimer também é uma doença progressiva e se caracteriza pela perda da função mental. Isso ocorre por conta da degeneração de tecidos neurológicos, do acúmulo de beta-amiloide, proteína que envolve as células nervosas, e alterações no citoplasma dos neurônios.

A patologia gera o comprometimento cognitivo dos indivíduos afetados, prejudicando sua memória, capacidade de comunicação, senso de localização e controle comportamental e das tarefas cotidianas. Isso desencadeia a dificuldade de socialização dessas pessoas.

O tratamento do Alzheimer é feito com medicamentos, sob prescrição médica, para amenizar os sintomas e suavizar os avanços progressivos da doença. Além disso, é importante a manutenção de um ambiente de acolhimento e apoio para os pacientes.

A prevenção da doença pode ser feita com a adoção de alguns hábitos ao dia a dia, como a prática de atividades físicas, exercitar as capacidades cognitivas diariamente, controlar a pressão e beber álcool moderadamente.

Osteoporose

A osteoporose é outra doença crônica progressiva e tem como característica fundamental o enfraquecimento dos ossos, por conta de uma redução na quantidade de cálcio. A patologia afeta, sobretudo, as mulheres acima de 45 anos.

É um problema silencioso e quando seus sintomas surgem, as dores crônicas e fraturas, as partes do corpo, como joelhos, quadris e braços já estão bastante afetadas. Em seus estágios mais avançados, a doença pode causar perda da massa óssea, deformidades e redução da estatura.

A osteoporose é uma doença mais comum em mulheres.

O tratamento geralmente envolve cirurgias de reparação, engessamentos, fisioterapia e o uso de equipamentos ortopédicos, além de medicamentos para controlar a dor e aumentar a densidade óssea.

Fibromialgia

Essa também é mais uma doença crônica predominante em mulheres. Quem sofre de fibromialgia enfrenta longos períodos de dores em todo o corpo, com sensibilidade maior nas articulações, tendões e músculos.

Outros sintomas podem estar associados, como fadiga, dificuldades para dormir, dor de cabeça e ansiedade.

Apenas de não ter uma causa estabelecida, a doença pode estar relacionada a fatores como estresse, problemas emocionais, situações de tensão e níveis baixos de serotonina.

A fibromialgia demanda um tratamento multidisciplinar, que busca minimizar os sintomas e os aspectos que podem desencadeá-los. Entre os cuidados, destacam-se o uso de medicamentos analgésicos e antidepressivos, o acompanhamento psicológico e os exercícios físicos.

Lúpus

O lúpus é uma doença inflamatória e autoimune, que afeta diversos órgãos e tecidos e pode surgir a qualquer momento. A patologia pode afetar a pele, os rins, o baço, o pulmão, o cérebro, entre outras partes do corpo.

Seu desenvolvimento geralmente é progressivo e os sintomas podem ser inchaços, dor nas articulações, fadiga, rigidez muscular, feridas na boca, perda de memória, queda de cabelo, entre outros.

O lúpus pode causar inflamações nas articulações.

Cada paciente terá uma experiência com a doença, sem haver uma causa específica que determine a intensidade. É comum a ocorrência de períodos de crise e desaparecimento dos sintomas em seguida.

O tratamento geralmente envolve medicamentos anti-inflamatórios, antimaláricos e corticoides.

Colesterol alto

O colesterol alto, também conhecido como hipercolesterolemia, ocorre quando o corpo recebe mais gordura do que necessita para o seu bom funcionamento. Isso gera uma série de complicações ao dia a dia dos indivíduos e pode acarretar o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Quanto maior a ingestão de alimentos gordurosos maiores serão as taxas do colesterol prejudicial, o LDL, que forma placas de gordura nas artérias, condição denominada aterosclerose. Além da má alimentação, outras causas para a doença são o sedentarismo, alterações hormonais e a diabetes sem acompanhamento.

O tratamento envolve principalmente a mudança de hábitos em relação à nutrição e às atividades físicas, mas, caso o médico considere necessário, pode haver a recomendação de medicamentos.

Doenças cardiovasculares

As doenças cardiovasculares também são consideradas crônicas e afetam o coração e o sistema vascular. Entre elas, pode se destacar a coronariana, a reumática, a congênita, a arterial periférica e a trombose venosa profunda.

Os homens são os mais afetados por essa patologia, principalmente a partir dos 50 anos. Os sintomas são variados devido à ampla diversidade de doenças que se enquadram nessa categoria e podem envolver de dores no peito a desmaios.

Os sintomas variam de acordo com a doença cardíaca crônica.

O tratamento varia de acordo com o tipo de problema. Podem ser utilizados, por exemplo, medicamentos para controlar a frequência cardíaca, melhorar o fluxo sanguíneo e fortalecer o funcionamento do coração. Além disso, pode ser necessária a realização de procedimentos minimamente invasivos ou cirúrgicos.

Sinusite

Você deve estar se perguntando: “Mas sinusite é doença crônica”? A patologia, na realidade, pode ser tanto aguda como crônica. O que caracteriza isso é a duração e recorrência dos episódios de crise.

Causada pela inflamação da mucosa dos seios da face, cavidades ósseas ao redor do nariz, maçãs do rosto e olhos, a sinusite impede a drenagem adequada da secreção presente nos seios da face. Desse modo, a pessoa acometida pela enfermidade sofre com dores e desconfortos.

As causas da sinusite podem ter origem nos agentes infecciosos ou em fatores alérgicos como bactérias, fungos, vírus, poeira, pelos de animais e produtos químicos. Algumas alterações da anatomia nasal podem também estimular seu surgimento.

O tratamento da doença pode ser feito de diversas formas e dependem de seu nível. Algumas delas são soluções salinas, corticoides nasais e injetáveis, antibióticos, descongestionantes e até mesmo cirurgias de desobstrução das vias.

Doença renal crônica

A doença renal crônica é uma patologia que acomete os rins, prejudicando seu funcionamento. Ela é silenciosa, lenta e progressiva, por isso, de forma geral, seus sintomas só aparecem quando os órgãos já estão muito comprometidos.

Entre eles, é possível destacar a perda de apetite, as náuseas, as confusões, os inchaços, principalmente nas pernas, e a fadiga.

A doença renal crônica é silenciosa e pode causar sérios comprometimentos dos rins.

Algumas das possíveis causas são a hipertensão, a diabetes, a recorrência de infecções de urina e o uso de alguns medicamentos que comprometem o fígado.

Os tratamentos dependem do nível das lesões, mas envolvem principalmente o controle dos sintomas e avanço da doença, além da chamada Terapia Renal Substitutiva, em casos nos quais os rins não conseguem mais desempenhar suas funções.

Fatores de risco

Há alguns fatores que aumentam as chances do desenvolvimento das chamadas doenças crônicas evitáveis. Por isso, caso essas ações façam parte de seu dia a dia, vale a pena repensá-las. Confira quais são eles a seguir!

  • Alimentação inadequada: uma nutrição com muitos alimentos gordurosos, frituras e açúcar em excesso pode contribuir para o desenvolvimento dessas patologias;
  • Tabagismo: a dependência ao tabaco gera uma série de consequências ruins à saúde, entre elas, uma maior chance de acarretar doenças crônicas;
  • Sedentarismo: a não realização de atividades físicas prejudica o funcionamento do organismo e também é um dos aspectos que pode elevar as probabilidades desse tipo de patologia;
  • Consumo excessivo de álcool: a ingestão de bebidas alcoólicas em demasia e de forma recorrente é outro fator que aumenta as chances de desenvolver doenças crônicas;
  • Estresse: a alta reincidência de circunstâncias de tensão e nervosismo pode atrapalhar a homeostase do corpo, provocando essas patologias evitáveis.

As doenças crônicas são muito preocupantes pois podem causar sérios danos à saúde e bem-estar dos indivíduos. Contar com hábitos saudáveis no dia a dia é uma boa maneira de preveni-las e, caso seja acometido por uma, é importante realizar o tratamento de forma adequada.

Para ajudar no acompanhamento de sua saúde, é possível contar com o atendimento especializado do Clinic Farma da Pague Menos. O serviço é realizado por farmacêuticos capacitados, que podem dar orientações sobre as patologias diagnosticadas, além de efetuar procedimentos como a aferição de pressão e de glicemia.

Tudo isso de forma individualizada e em salas equipadas para um maior conforto. Clique no banner abaixo e conheça nosso consultório farmacêutico!