Logo Sempre Bem
Ícone de busca
Ícone do ecommerce
Ícone de busca

Alzheimer: Entenda tudo sobre a doença

O Alzheimer é uma doença neurodegenerativa que atinge o cérebro


Atualizado em:

Tempo estimado: 5 min

Facebook
Twitter
WhatsApp
Alzheimer: Entenda tudo sobre a doença

Por: Criz Campos

O Alzheimer é uma doença neurodegenerativa que atinge o cérebro, principalmente, dos idosos a partir dos 65 anos de idade. É um dos tipos de demência mais comuns na terceira idade, sendo responsável por quase 70% dos casos em todo o mundo.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, atualmente, existem cerca de 35,6 milhões de pessoas com a doença e a estimativa é que esse número dobre até o ano de 2030 e chegue a triplicar até 2050. Hoje, no Brasil, estima-se que exista 1,2 milhões de pessoas com DA (Doença de Alzheimer).

Entrevistamos o Neurologista Raul Feitosa para responder às principais dúvidas sobre essa doença que muitas vezes ataca silenciosamente.

A doença de Alzheimer é conhecida por levar a uma perda progressiva da memória recente. No início da doença os pacientes sentem dificuldade de armazenar as novas informações e esse é o primeiro sinal de alerta. A ida antecipada a um especialista pode garantir um diagnóstico da doença mais cedo e assim, trazer um melhor acompanhamento dos sintomas .

"Ela ocorre pelo acúmulo de proteínas anômalas no tecido cerebral, que culmina com a perda de células neuronais. Isso acontece, principalmente, em áreas do cérebro relacionadas à memória.", explica o neurologista Raul Feitosa.

Empatia

Um ponto que merece bastante atenção é a empatia, se colocar no lugar do outro. Não raro, muitos idosos abrigados em asilos ou casas de apoio, acreditam que estão fora de seus lares e saem desses locais em direção aos pontos de ônibus para irem para casa . Pensando em resolver essa situação, algumas instituições instalaram pontos de ônibus falsos no pátio para que os idosos com Alzheimer não fugissem mais.

Entenda os principais Sintomas do Alzheimer:

- Perda de memória

- Dificuldade de coordenação motora

- Comprometimento da fala

- Alteração de humor

- Depressão

- Ansiedade

A DA é uma doença relacionada com a idade, e os fatores de risco da doença tendem a aumentar com o envelhecimento. Abaixo separamos os principais elementos que podem influenciar na degeneração das nossas células nervosas.

Fatores de risco:

- Idade acima dos 65 anos

- Genética

- Pressão alta

- Diabetes

- Colesterol alto

- Tabagismo

- Obesidade

- Sedentarismo

- Traumatismo craniano

- Menopausa

- Complicações de gravidez

É necessário estar atento a esses fatores de risco, pois eles podem acelerar o processo de desenvolvimento da doença, por isso, quanto mais saudável o seu estilo de vida, melhor.

Alzheimer é mais comum em mulheres

Estudos apontam que as mulheres têm mais alterações no cérebro relacionadas à doença de Alzheimer por causa da falta de hormônios durante e depois da menopausa.

"O Alzheimer se manifesta com a deterioração cognitiva e da memória de curto prazo e uma variedade de sintomas neuropsiquiátricos e de alterações comportamentais que se agravam ao longo do tempo", completa o neurologista.

A melhor forma de prevenir o surgimento do Alzheimer é tendo hábitos de vida saudáveis

Ter uma vida saudável é o segredo para a prevenção de várias doenças e com o Alzheimer não é diferente. Manter a mente ativa é um grande aliado.

Dicas para prevenir o Alzheimer:

- Tenha uma alimentação saudável

- Pratique atividade física regularmente

- Não fume

- Evite o consumo de bebida alcoólica em excesso

- Mantenha a mente ativa

- Pratique jogos que estimulem a memória (caça-palavras, leitura, cruzadinhas e jogos de memória são uma ótima opção)

-Tenha um ambiente de trabalho saudável

O exercício físico é essencial para manter a qualidade de vida

A prática constante previne muitas outras doenças e no Alzheimer também pode ajudar bastante. Quando praticamos atividade física com regularidade, nosso organismo libera hormônios que só trazem benefícios. Ajudam na qualidade do sono, regulam o intestino, melhoram o humor, mantém a mente ativa e treinam a coordenação motora, por exemplo. A Organização Mundial da Saúde recomenda que adultos façam atividade física moderada de 150 a 300 minutos ou de 75 a 150 minutos de atividade física intensa por semana.

Manter um bom ciclo social é outro hábito fundamental para a saúde da mente. "Ter interações frequentes com amigos e familiares é protetor para o cérebro, além disso, atividades intelectuais e jogos que estimulem o raciocínio também são uma prática recomendável", reforça o médico.

O Alzheimer merece atenção!

Pacientes com a doença de Alzheimer precisam, antes de qualquer coisa, de acompanhamento médico e de uma equipe multiprofissional. As manifestações da doença variam de paciente para paciente e podem mudar de acordo com a progressão da doença. A paciência dos cuidadores é essencial!

"Outra recomendação válida para todos é evitar confrontar o paciente em momentos em que ele esteja confuso, pois pode piorar um quadro de agitação", pontua Dr. Raul.

Valorize as pequenas ações!

É importante valorizar as funções que os pacientes não tenham perdido. "Assim ainda é possível se ter uma boa qualidade de vida, realizando uma série de atividades prazerosas, como dançar, saborear boas comidas, conviver com a família e amigos e viajar, por exemplo", conclui o médico.

O Alzheimer não tem cura, por isso é fundamental que quem conviva com pessoas com a doença tenha paciência e seja presente ajudando no que for preciso e estimulando o desenvolvimento tanto físico como mental.

FONTE: Raul Feitosa, neurologista